Menores de idade não podem fazer tatuagem ou colocar piercing no Estado de São Paulo sem o consentimento dos pais. A lei 9.828 é de 1997 e, de lá para cá, muita coisa mudou. Já não existe o mesmo preconceito e é cada vez mais raro uma pessoa ser julgada de forma errada por usar piercings ou por ter a pele tatuada. Isso, na verdade, nem vem ao caso. O que queremos discutir aqui é a questão da saúde. Como a lei continua valendo, é bem provável que, na prática, ela sirva mesmo para evitar que os adolescentes façam os procedimentos por conta própria, sem os cuidados necessários, já que ainda precisam do aval dos pais.

Esses procedimentos, em especial os piercings, podem trazer problemas de saúde. E é sobre isso que queremos falar neste texto. Antes de autorizar o filho a colocar o piercing, é importante tomar alguns cuidados. O primeiro deles é escolher bem o profissional e o estúdio. Busque referências e certifique-se de que o local é fiscalizado e respeita as normas da Vigilância Sanitária. Outro ponto importante é falar com um médico de confiança antes para que ele verifique se a imunidade está em ordem e indique possíveis vacinas, como a de tétano e da hepatite, que podem evitar doenças mais graves.

Depois da aplicação da peça, é necessário tomar muito cuidado durante o processo de cicatrização. O local precisa estar sempre limpo e seco para diminuir os riscos de infecção. No primeiro mês, antes de manipular o piercing, é preciso lavar as mãos, de preferência, com sabão antibacteriano. A área em volta do piercing deve ser higienizada com gaze umedecida em soro fisiológico. Na sequência, é preciso desinfetar o local, com algum produto indicado preferencialmente pelo médico, e, no fim, secar a região com uma gaze limpa. Esses procedimentos devem ser repetidos de duas a três vezes por dia, quando também é necessário movimentar e rodar o objeto.

Vale lembrar que os piercings podem provocar reações alérgicas, principalmente os que são feitos com níquel. Também há um risco considerável de infecção, se não forem tomados os cuidados necessários. Além disso, eles podem deixar cicatrizes, que variam de acordo com o organismo de cada pessoa.

Alguns lugares são mais susceptíveis a infecções e outros tipos de problemas. O nariz e a língua estão entre eles. Como a parte interna do nariz é mais úmida, ela também é mais propícia a bactérias. Já a língua, por ser uma área cheia de vasos sanguíneos, pode apresentar sérias hemorragias.

Na orelha, se a área escolhida for o lóbulo (aquela parte mais molinha), os riscos são os mesmos de um brinco. Já na região com cartilagem, há mais riscos de infecção e pode até ocorrer necrose. A sobrancelha, aparentemente, é um local fácil de limpar e seco, o que diminui os riscos de infecção. Mas como é uma região rica em veias e artéria, é fundamental que o colocador tenha bastante experiência.

Comentários

CategoryArtigos

Tradução »