A hérnia inguinal é identificada por abaulamento ou caroço na região inguino-escrotal. É mais comum nos prematuros, nos meninos, e do lado direito. Ela se forma na criança por persistência de uma estrutura fetal chamada conduto peritônio-vaginal. Essa estrutura é responsável pela orientação da descida do testículo para a bolsa escrotal ou do ovário para a pelve, por volta do terceiro mês de gestação, fechando-se quase completamente até o nascimento. Quando não se fecha completamente, ao fazer qualquer esforço que aumente a pressão dentro da cavidade abdominal, como chorar ou fazer força para evacuar, uma parte do intestino ou alguma outra estrutura intra-abdominal entra neste conduto que permaneceu aberto.

Quando o intestino entra e sai facilmente do conduto, a hérnia é redutível e pode-se esperar até a consulta de rotina com o médico pediatra ou cirurgião pediátrico. Entretanto, em aproximadamente 15% das crianças que possuem hérnia inguinal, haverá pelo menos um episódio de encarceramento da hérnia. O encarceramento acontece quando o intestino ou o ovário entra no conduto, mas não consegue retornar à cavidade abdominal. Esse processo gera dor inconsolável e irritação na criança. Neste caso, trata-se de uma urgência e a criança deve ser avaliada o mais rápido possível por um médico. O pediatra e o cirurgião pediátrico podem fazer manobras no exame físico da criança para ajudar a estrutura a retornar à cavidade abdominal em cerca de 90% dos casos. Se houver uma demora prolongada, o órgão pode iniciar um processo inflamatório secundário, com dificuldade da chegada do sangue até ele, podendo evoluir para necrose e necessidade de retirá-lo cirurgicamente.

O tratamento da hérnia é cirúrgico e deve ocorrer, independente da idade da criança, quando a hérnia for identificada. Se ela estiver redutível, a cirurgia pode ser agendada com antecedência, de maneira eletiva. Entretanto, se estiver encarcerada e não for possível reduzi-la ou houver sinais de estrangulamento, como dor intensa, vermelhidão no local, vômitos e distensão abdominal, a cirurgia deve ocorrer o mais rapidamente possível.

“Em nenhuma circunstância as informações aqui publicadas substituem a consulta com o seu médico”

“Para mais informações procure sempre o seu Cirurgião Pediátrico e realize uma consulta presencial antes de qualquer iniciativa”

CompartilharShare on Facebook

Comentários

CategoryHérnia Inguinal
Write a comment:

*

Your email address will not be published.

Tradução »