O que é?

AMBLIOPIA é uma falha no desenvolvimento da visão de um, ou dos dois olhos, causada por estímulos visuais inadequados.
Quando a AMBLIOPIA aparece?

Sempre no período do desenvolvimento da visão, do momento em que o recém-nascido abre os olhos pela primeira vez, até os 7 anos de idade, se há um impedimento ao desenvolvimento normal da visão.

O que acontece?

Quando o bebê nasce ele está pronto para se desenvolver, mas necessita de estímulos que sejam adequados. Para aprender a falar, precisa escutar, para aprender a enxergar, os olhos precisam enviar bons estímulos visuais ao cérebro. É o cérebro que aprende e comanda todas as funções do corpo, inclusive a visão. Nós sentimos que enxergamos com os olhos, que é neles que está a visão, que o tato está nas mãos, o olfato no nariz, o paladar na boca e a audição nos ouvidos, mas é o cérebro que nos dá a consciência da visão e de todos os sentidos. Quando há uma falha no desenvolvimento da visão, isto é, ambliopia, o lugar onde isso acontece é no cérebro, no local onde ele recebe e processa os estímulos visuais. Quando o médico trata a ambliopia, ele corrige os problemas dos olhos para que o cérebro receba estímulos visuais normais e possa desenvolver visão normal.

O que causa a AMBLIOPIA?

1 – Estrabismo, quando a criança olha sempre com o mesmo olho. O outro não desenvolve visão por falta de uso.
2 – Uma mancha no eixo visual, como uma cicatriz na córnea, catarata congênita (rubéola na gravidez, ou mal formação no olho do bebê) impedem total, ou parcialmente a formação de imagem na retina.
3 – Vícios de refração de alto grau (miopia, hipermetropia, ou astigmatismo). A imagem fica fora de foco na retina e é assim que o cérebro a recebe. Esses vícios de refração são hereditários e, se há pessoas na família – pais, tios, avós, primos – que usam óculos de grau muito forte, os genes responsáveis podem passar para o bebê.

Como é o desenvolvimento visual da criança?

Até os dois meses de vida o bebê enxerga formas e movimentos. Reconhece o rosto da mãe pelo contorno e dia a dia melhora, mas a região central das retinas, a mácula, que dá visão de cores e detalhes, completa sua formação somente após o nascimento, entre 2 e 3 meses de vida. É nesse momento que o bebê começa a enxergar detalhes e olhar curioso para objetos coloridos e se encanta e sorri com o salto de qualidade da sua visão. Aos 6 meses a criança tem visão estereoscópica, em 3 dimensões, e segue o desenvolvimento normal para, somente aos 5 anos de idade, enxergar como enxerga o adulto. Nos primeiros anos de vida o desenvolvimento visual é intenso e diminui pouco a pouco até terminar em torno dos 7 anos de vida. É por isso que o tratamento é mais rápido e mais eficiente nos primeiros anos e lento e, muitas vezes insuficiente, após 5, ou 6 anos de idade.

É normal os bebês terem estrabismo?

Não. Estrabismo não é normal nunca, em nenhuma idade. O bebê tem os olhos alinhados desde o nascimento, mas, até os 6 meses, às vezes, ele pode desviar um dos olhos. Isso pode ser normal, ou não. Na dúvida e também se a frequência dos desvios aumenta, leve o bebê ao oftalmologista, que irá examinar seus olhos e saber se é normal, ou não. O fato de muitos bebês terem a base do nariz larga causa uma impressão de estrabismo, que não existe, e é a causa da falsa crença de que é normal os bebês terem estrabismo que desaparece com o tempo. O oftalmologista pediátrico pode examinar os olhos dos bebês de qualquer idade.

O que é Ortoptista?

Há um profissional que também trabalha nessa área, o Ortoptista. Ele faz Faculdade de Ortóptica e tem muito conhecimento e experiência nos assuntos de estrabismo e ambliopia e, sempre que solicitado pelo oftalmologista, tem um papel importante no diagnóstico e tratamento.

Como saber se meu filho tem ambliopia?

O comportamento visual da criança com ambliopia é quase sempre o de uma criança que tem visão normal. Se um olho enxerga mal, o outro enxerga bem e, com os dois olhos abertos, ela olha e enxerga muito bem com um olho só. Os pais devem suspeitar de ambliopia sempre que na família houver casos de estrabismo, catarata congênita, tratamento com oclusão, uso de óculos na infância e adultos que usam óculos de graus elevados.

O Neonatologista, que é o Pediatra que recebe o bebê ao nascimento, faz o Teste do Olhinho e, se na Caderneta do Bebê vem anotado “Normal”, significa duas coisas: os meios ópticos são transparentes e as retinas têm a cor vermelha normal. Os pais podem ficar tranquilos. Aos 6 meses esse Teste deve ser repetido pelo Pediatra, ou por um Oftalmologista, porque, apesar de raro, a catarata congênita pode se formar nesse período pós-natal. Se houver casos de estrabismo, uso de oclusão, óculos na infância, ou adultos que usam óculos de graus elevados na família, essa criança deve ser examinado por um oftalmologista com um ano de idade. Toda criança deve fazer um exame oftalmológico completo aos 3 anos de idade.
Qual a relação entre ambliopia e Visão Binocular, ou em 3-D.

Nós temos 3 visões. A visão do olho direito, a do olho esquerdo e a dos dois olhos juntos, a visão binocular. Se os olhos são normais, o cérebro recebe duas imagens iguais, uma de cada olho. A união dessas imagens em uma imagem única é que nos dá a visão da terceira dimensão, a profundidade, ou visão estereoscópica. Se há ambliopia pode haver deficiência, ou mesmo ausência da visão em 3-D, que como a ambliopia, necessita ser desenvolvida no cérebro. O Oftalmologista pode testar essas três visões no consultório.

Existem tipos diferentes e ambliopia leve e grave?

Sim. A ambliopia é muito grave na catarata congênita total que impede completamente a formação de imagens na retina e, consequentemente, o cérebro não as recebe e não desenvolve visão. O caminho da luz precisa estar livre até a retina aos 2 meses de idade e isso é possível com a cirurgia da catarata. Se o cérebro desse bebê receber imagens somente após, por exemplo, 6 meses de idade, esse olho será deficiente visual por toda a vida e não há tratamento para isso. A ambliopia causada por vícios de refração é a mais leve e a causada por estrabismo pode variar de leve a grave. Há casos especiais de estrabismo nos quais 4 anos de idade é tarde demais para tratar a ambliopia.
Como é o tratamento da ambliopia?

O primeiro passo é saber o problema que há nos olhos, o que é feito pelo Oftalmologista. Ele fará o diagnóstico e irá orientar o tratamento que pode ser :

1 – Cirúrgico e depois óculos e oclusão no caso da catarata congênita total
2 – Oclusão parcial do olho normal, se a catarata for parcial e, às vezes óculos
3 – Óculos, ou óculos e oclusão nos casos de vício de refração e estrabismo
4 – Oclusão e cirurgia em alguns tipos de estrabismo.

Não há alta antes dos 7 anos, idade em que o desenvolvimento da visão se completa. Há casos em que o oftalmologista estende o tratamento além dos 7 anos, pois percebe que ainda há desenvolvimento e melhora.
O que esperar do tratamento da ambliopia?

A chance da criança com ambliopia ficar totalmente curada é próxima a 100%, desde que o diagnóstico seja precoce e o tratamento bem feito, o que não é fácil e muitas vezes desgastante e longo. A família que tem uma criança com ambliopia deve encarar o fato como um problema sério, mas também como uma oportunidade de unir forças e dividir responsabilidades para que o sucesso seja da família unida com uma postura do tipo: “Filho(a), você, papai, mamãe, nós, juntos iremos vencer essa ambliopia”. Essa disposição firme e constante precisará ser renovada muitas vezes porque o caminho é longo, mas vale e muito porque a visão que essa criança desenvolver até 7 anos de idade é uma conquista que terá para o resto de sua vida.

“Em nenhuma circunstância as informações aqui publicadas substituem a consulta com o seu médico”

“Para mais informações procure sempre o seu oftalmologista pediátrico e realize uma consulta presencial antes de qualquer iniciativa”

CompartilharShare on Facebook

Comentários

CategoryAmbliopia

Tradução »