Assim que aparecer o primeiro dente do bebê, é necessário começar a fazer a higienização de sua boca. E, apesar de a criança ganhar uma certa autonomia neste processo conforme for crescendo, os especialistas orientam que, até os oito anos de idade, a escovação diária deve ser feita com a ajuda de um adulto, já que estima-se que, até este momento, a coordenação motora da criança não esteja desenvolvida o suficiente para realizar a escovação sozinha de forma eficiente.

A odontopediatra Natália Teixeira, do Portal Pedline, explica, no entanto, que é necessário estimular o desenvolvimento da coordenação. “É preciso deixar a criança escovar sozinha também, mas sempre reforçar a higiene depois. Ou, então, deixar a criança brincar com a escova após a higienização correta. O adulto também não pode deixar de usar o fio dental assim que os dentes da criança começarem a ficar mais próximos”, orienta.

De acordo com Natália, o número de vezes em que a higienização deve ser feita depende muito da alimentação de cada criança. “A escovação deve ocorrer ao menos três vezes ao dia, dando bastante ênfase à qualidade da escovação noturna, antes de a criança dormir. Vale destacar que após a última escovação, a criança não deve ingerir mais nenhum alimento”, explica.

A escova deve ser pequena e com cerdas macias. “Em pelo menos duas escovações por dia, deve ser utilizada a pasta fluoretada, na concentração entre 1.000 e 1.500 ppm (concentração padrão) e uma dessas escovações com a pasta fluoretada, deve ser, preferencialmente, à noite. Caso a criança vá para escola, os pais devem optar para que a escovação em ambiente escolar seja com pasta sem flúor, já que fica mais difícil controlar a quantidade de pasta que a criança vai utilizar”, comenta.

O uso de pasta fluoretada deve ser adotado assim que aparecer o primeiro dente. “O flúor deve ser usado como um medicamento e o que o difere do veneno é a dose. O responsável pela criança deve ficar muito atento à quantidade de pasta utilizada. Didaticamente, ele não deve exceder um grão de arroz até os 4 anos (para minimizar risco de fluorose dentária) e, após os 4 anos, utilizar um grão de ervilha”, recomenda.

Antes do aparecimento de dentes, não há necessidade de fazer a higienização da mucosa do bebê diariamente. “Esta limpeza pode ser mais esporádica. Esfregar a mucosa com frequência pode favorecer o aparecimento de fungos e bactérias na boca do bebê. Pode até causar candidíase oral, mais conhecida como sapinho. Estudos mostram que limpar a mucosa do bebê não traz benefício algum. Pelo contrário, pode trazer até malefícios. O leite da mãe tem imunoglobulinas que protegem o bebê, então, quanto mais tempo elas ficarem na boca, mais vão proteger a criança”, esclarece a odontopediatra.

CompartilharShare on Facebook

Comentários

Tradução »